Se você tem um tufão em casa que chama de cachorro do tipo que destrói tudo por onde passa, fique atento. Isto porque hoje vamos dar algumas dicas de como fazer para o cachorro não morder os móveis. Vamos lá?

Porém, para que você consiga impedir esse comportamento destrutivo, primeiro é preciso entender o porquê das mastigações. Veja a seguir as razões mais comuns e suas soluções.

O hábito de morder os móveis em filhotes

Assim como os bebês de seres humanos, os filhotes de cachorro também precisam mastigar e morder coisas quando estão desenvolvendo seus dentinhos. Isso porque a gengiva dói e coça, trazendo muito incômodo ao pequenino que precisa alivia-lo de alguma forma. Além disso, toda a infância gera grande ansiedade, fazendo com que esses comportamentos se tornem constantes.

Leia também: Como sei se meu cachorro está entediado?

morder os móveis

O que fazer para evitar?

  • Primeiro você deve comprar diversos mordedores para ele. Existem mordedores de todos os modelos e formas, com e sem som, duros e macios. Escolha o ideal com a ajuda do seu veterinário de confiança e compre diversos.
  • Agora, você precisa ensina-lo a usar o novo brinquedo. Para isso, coloque-o em um cômodo vazio – como um lavabo, por exemplo – e deixe disponível apenas o novo mordedor. Quando ele começar a morder o brinquedo, o premie com petiscos e palavras de estímulo como ‘muito bem’ ou ‘bom garoto!’.
  • Brinque você também o mordedor tentando suavemente retirar da posse do cãozinho ou ainda jogando próximo dele. Quando ele pegar e morder, o premie novamente.
  • Além deste treino através do reforço positivo, é importante que você o ensine a aprender o significado da palavra ‘não’. Quando ele for morder suas mãos, os móveis ou algo que não seja o mordedor, diga não de forma firme e aponte para o objeto que não deve ser mordido.
  • Você também pode toca-lo enquanto diz não em locais como próximo ao ombro, isso faz com que ele compreenda que este é um sinal de repreensão, assim entendendo que deverá parar de fazê-lo.

O hábito de morder os móveis em cães adultos

Caso seu cachorro comece a desenvolver tédio e ansiedade, é comum que comece a morder e destruir seus móveis quando ficam sozinhos. Eles também desenvolvem este tipo de comportamento quando não gastam toda sua energia em exercícios e passeios, descontando todas as calorias que ganharam com o alimento nos seus móveis. Se você identifica que esta é a causa, o primeiro passo é estabelecer uma rotina nova.

Lembre-se de aprender mais sobre seu cachorro. Existem raças que precisam de duas a três caminhadas por dia para conseguirem gastar toda sua energia, isso sem contar os treinos e brincadeiras em casa mesmo. Além disso, não é saudável que o cachorro fique sozinho por muito tempo, por isso tente almoçar sempre em casa para fazer um pouco de companhia ao seu melhor amigo ou contrate um dog walker que vá até sua casa brincar com seu cachorro e que o levará para passear também. Após mudar a rotina, você verá que ele destruirá os móveis com menos afinco, porém antigos hábitos são difíceis de mudar, por isso veja as dicas a seguir.

Como faço para meu cachorro não morder os móveis? 2

O que fazer para evitar?

  • Compre um mordedor de tamanho e intensidade adequados para um cachorro adulto do porte que tiver o seu. Compre modelos diferentes que façam barulho, que tenham luzes ou ainda que sejam mais duros e mais macios. Isso irá ajudar a captar a atenção do cachorro e despertará a vontade de brincar.
  • Após compra-lo, interaja com ele. Use o mordedor para chamar sua atenção e sempre que ele morde-lo, lhe dê um petisco ou palavras de estímulo como ‘bom garoto’ e ‘muito bem!’.
  • Da mesma forma que com o filhote, fique de olho e sempre que você vir ele mordendo algo que não deve, seja firme e diga não. É importante que seu não tenha bastante ênfase e que você não permita nunca que na sua presença ele morda seus móveis ou qualquer coisa que não seja os brinquedos para isso. É importante fazer isso no exato momento em que ele estiver mastigando o que não deve, fazer depois não ajudará ele a criar nenhum tipo de associação.

Caso tenha duvidas ou o caso esteja bastante avançado, sendo difícil fazê-lo mudar de comportamento, o ideal é recorrer a ajuda especializada. Tanto seu veterinário de confiança quanto um adestrador profissional saberão como ajuda-lo a evitar este transtorno, assim melhorando a qualidade da relação tutor-cachorro.

Você sabia de tudo isso? Comente!