Canecas para Presente

Infelizmente não são raros os casos de câncer em cães e é claro que se você se ver nesta situação, precisará levar seu melhor amigo para fazer quimioterapia. Hoje vamos contar um pouquinho sobre como funciona e seus efeitos colaterais.

O que é a quimioterapia canina?

Após o diagnóstico de câncer, o veterinário irá certamente solicitar a realização de uma cirurgia para remoção. Entretanto, após a retirada do tumor é necessário realizar sessões de quimioterapia para evitar a recorrência e também para atrasar possíveis metástases. Existem casos também que a quimioterapia é realizada antes mesmo da cirurgia na tentativa de diminuir o tumor. Por último, ainda existe a possibilidade do tumor ser inoperável e aqui a quimioterapia é aconselhada como medida paliativa. Cães que viveriam semanas com o câncer passam a viver mais de ano com o auxílio da quimioterapia.

Como funciona o tratamento?

Os medicamentos utilizados no tratamento agem sobre as células que estão se dividindo, isso porque o câncer consiste no crescimento celular descontrolado que vai aumentando, aumentando e causando tumores maiores. Os remédios agem justamente na contenção destas células, porém infelizmente as células saudáveis também acabam sendo atingidas, principalmente as do intestino e também da medula óssea já que são as que mais se multiplicam. É por isso que a quimioterapia possui tantos efeitos colaterais.

Leia também: Sintomas de câncer de mama em cadelas

Quimioterapia

Como é feito o procedimento?

A dose indicada em geral é a chamada DMT (dose máxima tolerada) e seus efeitos dependem justamente desta quantidade. Em geral são realizadas sessões regulares a cada 1 ou 3 semanas dependendo da recuperação dos tecidos. As doses administradas são padronizadas para que sejam bem toleradas pelos cães. É realizada a combinação de medicamentos nessas doses para que a quimioterapia se adapte às características do câncer de cada cão.

Efeitos colaterais

Os maiores temores de todo tutor são justamente os efeitos colaterais. Infelizmente, a quimioterapia também acaba atingindo as células saudáveis, principalmente as do intestino e da medula óssea. Logo, os efeitos colaterais costumam ocorrer justamente nessas áreas, dentre os mais comuns estão vômitos, diarreia, anorexia e diminuição do número de leucócitos, o que baixa a imunidade e torna o cão mais propenso à infecções e diminuição dos níveis de plaquetas ou febre.

Além disso, os medicamentos por si podem causar problemas como cistite, alterações cardíacas, dermatite e até mesmo necrose no local onde é feita a aplicação. Reações alérgicas também podem ocorrer. Outro efeito colateral gravíssimo é a diminuição de leucócitos e para combater este fato, é importante utilizar medicamentos preventivos para ajudar a manter a produção. Caso seu cachorro comece a apresentar perda de apetite, ofereça a ele sua comida favorita e não permita que haja falta nutricional, seu cão precisa estar forte neste momento complicado.

Como funciona a quimioterapia em cães? 2

É importante que você mencione todos os efeitos colaterais que está observando nas consultas de acompanhamento, isso porque hoje existem fármacos para quase todo tipo de reação, assim ajudando a melhorar a qualidade de vida do seu melhor amigo neste momento tão complicado de sua saúde. Lembre-se de dar-lhe muito carinho durante e após as sessões e de cuida-lo para que se sinta bem na medida do possível.

Cuidados necessários antes e depois das sessões

Antes de iniciar o tratamento, é muito importante que você compre todos os medicamentos indicados por seu veterinário para evitar o surgimento de efeitos colaterais. Quando a sessão ocorre na clínica, é comum que os profissionais tomem todas as precauções e cuidados necessários. Entretanto, se você for fazer a quimioterapia em casa via oral, é importante utilizar luvas, jamais romper os comprimidos e sempre seguir as indicações dadas pelo veterinário. Vale ressaltar que mulheres gestantes jamais devem manusear os medicamentos.

Após a quimioterapia é importante medir a temperatura do cão, a sintomatologia e também administrar os medicamentos prescritos. Também é importante – se for o caso – utilizar luvas para verificar fezes e urina do cão durante as próximas 48 h. Os medicamentos quimioterápicos saem do organismo após 2 ou 3 dias em quantidades mínimas. Logo, caso siga regras básicas de higiene, não há risco para você.

Você sabia disso? Comente!